Codec integra debates sobre a atividade agrícola na região oeste

A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), por meio do seu presidente Olavo das Neves, esteve nos municípios de Santarém e Belterra nesta quinta-feira (19) para participar de dois encontros que, coordenados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), expuseram demandas em relação à atividade rural nas localidades e solicitaram apoio na implementação de projetos em diferentes áreas. Em Santarém as reuniões foram realizadas pela manhã no auditório do Theatro Victória, e em Belterra, na Câmara Municipal, pela tarde.

“Nos dois encontros, o foco era debater geração de emprego e renda com ênfase no agronegócio”, disse o presidente da Codec. Olavo das Neves destaca ainda a importância da parceria entre Codec, Sedap e demais entidades do governo nas ações sensíveis à economia paraense “compartilhando esforços em ações que estão sendo desenvolvidas pelo Estado”, afirmou.

O titular da Sedap, Giovanni Queiroz, ressaltou que concerne ao setor agrícola é necessário pensar o Estado como um todo, daí a necessidade desses encontros. “Estamos visitando vários municípios para ouvir as demandas de cada região, principalmente do setor rural. Temos o melhor Estado para se produzir no Brasil, no entanto ainda nos servimos do arroz produzido no Rio Grande do Sul. Não podemos mais continuar desta forma. Temos que alavancar a economia agrícola, e Santarém, como município polo da região oeste, faz parte desse processo”, destacou o secretário.

Entidades do setor produtivo destacaram os entraves e as dificuldades para expandir a produção agrícola devido a uma série de fatores, entre eles a burocracia. Representantes de cooperativas agrícolas, presentes à reunião, lamentaram as perdas que tiveram por conta da crise, mas, também, ressaltaram os avanços obtidos. “Como agricultores familiares esperamos que sejam implementados programas que garantam apoio à cadeia produtiva da mandioca, dos hortifrutis e também à irrigação, que foi uma grande demanda de nossa região. Isso ficou evidente no verão de 2015”, relatou o presidente da Cooperativa dos Produtores Rurais de Santarém, Mojuí dos Campos e Belterra (Coopromubel), Mário Zanelar.

O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, observou que é necessário pensar em meios para evitar que os investimentos deixem de ser feitos no município. De acordo com o gestor, há alguns anos Santarém tem sofrido com a migração de projetos para outras cidades. “É necessário pensar o desenvolvimento econômico, respeitando as leis ambientais, mas, também, oferecendo condições para que nossa população possa participar do processo”, avaliou.

Renegociação – Um dos pontos apresentados pelo secretário Giovanni Queiroz diz respeito às vantagens oferecidas ao produtor rural por meio da Lei Federal 13.340/2016, que trata da Liquidação do Crédito Rural. De acordo com os termos previstos no artigo 4º, o benefício previsto tem por objeto a concessão de descontos para a liquidação até 29 de dezembro de 2017, de dívidas originárias de operações de crédito rural e das dívidas contraídas no âmbito do Fundo de Terras e da Reforma Agrária e do Acordo de Empréstimo 4.147-BR, inscritas ou encaminhadas para inscrição em dívida ativa da União até a data de publicação da lei, ou seja, até 29 de setembro de 2016.

“Isso é de uma importância vital. Até o dia 29 de dezembro, que já está próximo, existe a oportunidade de ajudarmos o produtor rural a pagar suas contas e poder estar apto para novos financiamentos. Se ele está inadimplente, perde sua capacidade de contrair novos créditos. No bojo dessa lei, o produtor tem condições de sanar sua dívida com até 85% de desconto. Além disso, se você não tiver os 15%, o banco aceita 1% e renegocia por mais treze anos sua dívida com juros de 0,5%”, explicou o secretário.

No processo de renegociação de dívida é importante a orientação de outras instituições, como a Emater, que atua na assistência técnica, mas vem fazendo esse trabalho de conscientização e direcionamento junto aos produtores. “Esse é um assunto muito importante para a Emater, porque tem tudo a ver com nosso trabalho. Hoje a maior parte dos produtores rurais está com dificuldade de acesso ao crédito, mas, com esse desbloqueio que está sendo proposto, eles podem voltar a ficar adimplentes e a Emater, por sua vez, volta a ter condições de elaborar novos projetos para ajudá-los a melhorarem suas condições de vida. Por isso estamos dando todo apoio possível, orientando esses produtores para que procurem os bancos e renegociem suas dívidas”, informou o supervisor regional da Emater, Rosivaldo Colares.

Também participaram da reunião em Santarém o vice-prefeito José Maria Tapajós; o secretário adjunto da Sedap, Afif Jawabri; o diretor de Pesca e Aquicultura da Sedap, João Terra;  o diretor regional do órgão, Lauriano Silva; o presidente do Sindicato Rural, Adriano Marraschin; o vereador Didi Feleol, representando a Câmara; o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, Edilson Figueira, o superintendente regional do Banco da Amazônia, Antônio Edson da Costa, além de representantes de cooperativas e demais entidades do setor produtivo.

Belterra – À tarde, a equipe coordenada pelo titular da Sedap participou de reunião no município de Belterra, com o mesmo objetivo do encontro realizado em Santarém. Nela estiveram presentes do prefeito Jociclélio Macêdo, vereadores, representantes de sindicatos, instituições públicas e da iniciativa privada. Na ocasião, Jociclécio admitiu que é grande a expectativa para o ano de 2018 no setor rural, principalmente no que tange à agricultura familiar. De acordo com o prefeito, apesar das dificuldades, a presença do Estado apoiando os projetos é fundamental.

“Todo nosso esforço é para melhorar as condições do produtor rural, começando pela mecanização agrícola. A Sedap está aqui para nos dar apoio com relação à seleção de sementes para o nosso viveiro, para que possamos produzir as mudas e elas cheguem às mãos dos produtores familiares e se transformem em uma nova opção de renda”, disse o prefeito.

Na oportunidade, a Prefeitura de Belterra e o Governo do Estado, por meio da Sedap, firmaram Termo de Cooperação Técnica com a finalidade de implementar ações do Programa de Aquicultura com ênfase na pesquisa, produção e fomento. A cooperação entre os dois entes prevê o acompanhamento técnico, por parte da Sedap, para a construção e melhoria da infraestrutura para aquicultura no município; capacitação e acompanhamento de programas e projetos de incentivo; apoio às Organizações Sociais em atividades diversas (feiras, festivais, conferências, etc), entre outras atividades.

Por Samuel Avarenga – correspondente em Santarém

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.