Comitiva paraense conhece tecnologia verde para a produção de energia

No Brasil, apesar da principal matriz energética ser hidrelétrica, onde o Pará consolida-se como protagonista de maior relevância no cenário nacional, o Governo do Estado aposta no intercâmbio de conhecimentos em busca de novas tecnologias verdes, para aperfeiçoar práticas já desenvolvidas e implementar novas ações que garantam fornecimento energético com enfoque sustentável, visando atender a crescente demanda por energia.

“Reconhecemos a importância do Pará e sua contribuição para o país na geração de energia, mas entendemos que não devemos esgotar nossas alternativas nos modelos atuais, pois garantir o fornecimento de energia de forma responsável é também um caminho para estimular a movimentação econômica em nossa região, além de contribuir com firmes conceitos de sustentabilidade que defendemos”, afirma Adnan Demachki, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico.

O secretário Adnan Demachki faz parte da comitiva paraense que está em Portugal participando de uma série de encontros com representantes do setor empresarial português, a fim de identificar novas oportunidades de negócios e fortalecer parcerias de longo prazo entre o Estado e o país europeu.

Como parte dessa missão comercial, o grupo esteve na quarta-feira, 4, no município de Oliveira de Frades, para conhecer as instalações do grupo multinacional Martifer, que possui na localidade uma das fábricas mais modernas do mundo na produção de placas fotovoltaicas.

A Martifer é um grupo industrial com atividade centrada no setor de construção metálica e possui um braço voltado para a produção de energias renováveis, sobretudo no desenvolvimento de parques eólicos e solares. “O grupo começou a atuar no Brasil em 2010, com operações voltadas para a produção fotovoltaica. Acreditamos ser um país que tem tudo para alcançar a longo prazo a excelência fotovoltaica, principalmente se forem implementadas melhorias na questão cambial”, avalia Bernardo Mota Veiga, diretor global de distribuição e trading da Martifer.

“Os recursos naturais do Pará são, sem dúvida, um forte atrativo para que no futuro a região possa receber grandes projetos de produção. Por isso, nos próximos meses devemos estreitar o diálogo com o governo a fim de identificar oportunidades de negócios na região”, afirma Henrique Rodrigues, CEO da Martifer.

Iluminação inteligente

Além da adoção de fontes “verdes” para geração de energia sustentável, outra iniciativa amiga do meio ambiente que também vem ganhando força no mercado internacional é a inclusão de sistemas de iluminação inteligente, que permitem o controle à distancia das operações de acendimento e apagamento, além de variações de intensidade.

Referência no emprego desta nova tecnologia, a cidade portuguesa de Águeda, localizada a 270 km da capital Lisboa, foi um dos primeiros municípios de Portugal a investir na iluminação urbana feita com LEDs, substituindo as antigas luminárias. “Para se ter ideia, a economia na iluminação com emprego de LED chegou a 50%, e com a gestão efetiva do recurso, é possível chegar a 80% de economia de energia”, conta Gil Nadais, prefeito de Águeda.

O projeto, que visa implementar novas tecnologias e aplicações na área da iluminação, foi desenvolvido em parceria com a empresa de sistemas de iluminação Lightenjin e a HFA, especializada na montagem e teste de equipamentos eletrônicos e de telecomunicações. “Tudo o que fazemos é pensando nas pessoas. Toda essa aposta na tecnologia é justamente para atender a população e beneficiar a qualidade de vida das pessoas”, afirma o engenheiro Carlos Alves, da HFA.

“Acredito que para garantir o real desenvolvimento é preciso abraçar boas práticas de respeito às pessoas e ao meio ambiente. O poder público deve trabalhar em parceria com o setor empresarial, no sentido de apoiá-los, trabalhando de forma conjunta para facilitar os entraves burocráticos, estreitar o diálogo e a criação de ações efetivas. O Pará, sem dúvida está no caminho certo e tem todos os recursos necessários para se firmar como referência em sustentabilidade e agregar valor aos seus recursos”, afirma Álvaro Duarte de Oliveira, CEO da Alfamicro, empresa de pesquisa, engenharia e consultoria.

Fortalecimento de parcerias

Para o empresário paraense Márcio Bellesi, que também participou das visitas, a aposta na troca de experiências e o trabalho conjunto entre governo, entidades e empresários é uma grande conquista para o Estado. “Esta é a primeira vez que contamos com essa relação articulada. Até então os governos e empresários atuavam separados e todos nós perdiamos com isso. Hoje é diferente e por isso fico muito satisfeito ao ver essa busca mais ativa pela captação de investimentos. Ter a chance de participar de encontros como esse nos motiva a refletir sobre o nosso potencial. Temos tudo aqui e a localização do Pará nos permite fazer muita coisa. O empresariado local precisa valorizar mais isso por meio da troca de boas práticas. Acredito que buscar a verticalização das produções na região é um grande exemplo”, afirma Bellesi.

Para Olavo das Neves, Presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), a missão de Portugal revela uma série de oportunidades. “O evento em curso é uma excelente oportunidade para efetivamente fortalecermos a relação entre a iniciativa privada e governo, buscando trabalho sinérgico em busca do crescimento de nosso Estado, com desenvolvimento de ótimas oportunidades que assegurem agregação de valor e, consequentemente, crescimento econômico com geração de emprego e renda, tão necessários neste momento em que o país atravessa”, reforça Olavo.

O evento “Pará, um mundo de oportunidades” está sendo realizado em Lisboa e deve reunir até esta sexta-feira, 6, cerca de 200 integrantes do setor empresarial paraense e português. A iniciativa é da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, em conjunto com a Confederação Empresarial de Portugal (CIP), a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – seção Pará (ADVB/PA) em parceria com ADVP/Portugal, a Associação Comercial do Pará (ACP) e a Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), contando ainda com a presença da Sedeme, Codec e Secretaria de Estado de Turismo, representando o governo paraense.

O objetivo é apresentar as potencialidades do Pará como mercado em franca expansão, favorecendo o cenário para a articulação de acordos que envolvam diversos segmentos ligados à área de produção do Estado do Pará.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.