Congresso Internacional discute as oportunidades para a economia da região amazônica

O VII Congresso e Feira Internacional de Transporte e Logística Sustentável da Amazônia (Trans 2018) teve sua abertura na noite desta terça-feira (19) no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia. O evento vai até a quinta-feira (21) e é promovido pelo Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação do Pará (Sindarpa), com o objetivo de apresentar ao mercado investidor um cenário de oportunidades que se apresenta para a economia regional na área de transportes.

A cerimônia de abertura contou com a presença do secretário de Estado de Transporte, Kleber Menezes, que representou o governador Simão Jatene; do presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda, e de diretores, presidentes e representantes dos 10 órgãos do governo que estão participando do evento, assim como autoridades do setor.

Kleber Menezes destacou que o setor de logística é responsável pela ligação da Amazônia e do Pará com o restante do Brasil e do mundo. “A logística da região Norte, alavancada pelo desenvolvimento da economia de grãos, está sendo o vetor de integração da Amazônia ao Brasil”, ressaltou.

Ainda segundo ele, até uma década atrás, devido às dificuldades no desenvolvimento da região, os custos com a logística chegavam a ser muitas vezes maiores que os custos de implantação deste mesmo empreendimento. “Hoje, graças a investimentos como a BR-163, que está próximo da conclusão – as pedras dos rios estão sendo removidas, eclusas estão sendo construídas, pontes de madeira estão sendo substituídas por concreto – pequenos e médios empreendimentos podem se estabelecer na Amazônia. Estamos proporcionando outro ciclo de desenvolvimento”, ressaltou Kleber.

O deputado Márcio Miranda destacou que o debate é importante para se levantar os problemas, discutir o que já foi feito e fazer uma projeção dos investimentos para o futuro no setor. Para ele, há um grande potencial na utilização dos rios navegáveis, que são subutilizados no transporte das riquezas. “Um modal único de transporte centrado no rodoviário não é ideal para nós. Temos que transformar a Amazônia para que o principal modal seja o hidroviário, o momento serve para fomentar este debate”, comentou o deputado.

Para o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), Fábio Lúcio Costa, o estado precisa entender que o setor de logística é fundamental para o desenvolvimento econômico e no combate à pobreza e desigualdade. “Por isso o governo tem realizado investimentos e reunido as secretarias em torno das questões para debater e promover ações para o setor.

Investimentos

O Governo do Estado está investindo em obras para melhorar as condições de mobilidade e trazer mais comodidade e segurança aos moradores dos municípios por onde passam as rodovias estaduais. A Região Metropolitana de Belém (RMB), por exemplo, recebe um grande projeto de mobilidade urbana, do qual fazem parte a recuperação da Rodovia Mário Covas e o prolongamento da Avenida João Paulo II.

Outro projeto que será destaque na pauta do Trans 2018 é o da Ferrovia Paraense, um dos mais robustos na área de logística de transportes das últimas décadas no Pará e alternativo ao modal rodoviário. Estes e outros investimentos serão apresentados pela equipe do Governo Estadual durante o VII Congresso Internacional de Transporte e Logística Sustentável da Amazônia.

Todo o investimento na RMB faz parte do projeto de desenvolvimento urbano Ação Metrópole, que inclui, ainda, a requalificação e transformação da Rodovia BR-316 em uma Avenida moderna, com três faixas de rolagem nos dois sentidos, pavimento flexível, duas ciclovias bidirecionais, gramado próximo à ciclovia para arborização, dois passeios para circulação de pedestres com 2,5 metros de largura, faixa de piso tátil e rampas de acessibilidade, de acordo com a legislação vigente, além de mobiliário urbano (bancos, lixeiras e abrigos em paradas de ônibus convencionais).

O projeto prevê também o remanejamento de diversas interferências para realização do conjunto de obras, incluindo demolições, retiradas, realocações, reinstalações e requalificação de vias e calçadas, representando um investimento de R$ 525 milhões, enquanto parte de um sistema de mobilidade urbana que funcionará integrado a outros projetos executados pelo governo estadual.

Programação

Nesta quarta-feira (20) será apresentado o Painel Governamental, que contará com a participação da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon), Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Departamento de Trânsito do Estado (Detran) e Secretarias de Turismo e de Transportes.

Além disso, no estande do Governo no evento, os participantes poderão conhecer os investimentos do Estado para fomentar o cenário de oportunidades que se apresenta para a economia regional na área de transportes.

Com o slogan “Pará – Plataforma Logística Internacional”, o evento chega à 20ª edição, tendo como principal objetivo a reunião e a integração logística da Região Pan-Amazônica junto ao Brasil e à comunidade logística internacional, por meio de uma plataforma de debates e de negócios multisetoriais, que aborde temas relevantes para o desenvolvimento de uma infraestrutura logística funcional e competitiva para o Brasil, a partir dos portos do Pará.

Por Márcio Flexa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.