Pará e Canadá debatem aumento nas relações comerciais

O governador Simão Jatene recebeu nesta quarta-feira, 2, o embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone. Na pauta do encontro, o aumento das relações comerciais entre o estado e as empresas canadenses. Além disso, os canadenses querem estreitar parcerias para fomentar a atração de investimentos, estimular políticas públicas e incentivar a integração política, econômica e cultural.

Do encontro, no Palácio do Governo, participaram ainda Jason Reeve, conselheiro chefe do Departamento Comercial canadense; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Eduardo Leão; o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará, Fábio Lúcio Costa e a coordenadora de Relações Internacionais do estado, Larissa Steiner Chermont.

No encontro, o embaixador lembrou que as relações comerciais entre o Pará e o Canadá têm atualmente um saldo estimado em R$ 1 bilhão/ano e que 40 por cento das exportações brasileiras ao Canadá têm o Pará como fonte. “Nossa intenção é aumentar esse número trazendo ao Pará novas empresas e fortalecendo o trabalho das indústrias já existentes e atuantes”, disse o embaixador.

Para o governador Simão Jatene, a proposta é bem-vinda. “Se há um país onde podemos experimentar um aumento de uma relação civilizatória é com o Canadá”, disse. “O Canadá tem um trabalho de décadas na exploração mineral, seja de madeira, de outros minérios, de respeito ao meio-ambiente, de replantio, que o Pará precisa conhecer melhor”, concluiu o governador.

As relações comerciais entre o Canadá e o Brasil têm tido, em anos recentes, um crescimento impressionante. O comércio bilateral cresceu 35,1% desde 2009, chegando a 5,6 bilhões de dólares canadenses em 2014, tornando o Brasil o 15º maior destino das exportações canadenses.

Em 2014, as exportações canadenses ao Brasil totalizaram 2,2 bilhões de dólares canadenses em produtos comercializados, enquanto que o Canadá importa 3,5 bilhões de dólares canadenses do Brasil, fazendo do país a 14ª maior fonte de importações globais.

Em 2013, o Brasil foi a sexta maior fonte de Investimento Estrangeiro Direto no Canadá, com 18,5 bilhões de dólares canadenses em investimentos acumulados. O Brasil foi o 11º maior beneficiário do Investimento Direto Canadense no Estrangeiro, com um total de 11,1 bilhões de dólares canadenses no final de 2013. Cerca de 500 empresas canadenses estão ativas no Brasil.

A agência Export Development Canada (EDC) está presente no Brasil há 14 anos. Desde 2000, a EDC facilitou mais de 20 bilhões em exportações e investimentos canadenses. Em 2013, serviu 338 empresas, comparadas às 169 em 2000, e seu volume de negócios no Brasil, em 2013, foi de 2,1 bilhões de dólares canadenses.

Além disso, 861 compradores internacionais foram assegurados. O setor comercial do Consulado Geral do Canadá identificou oportunidades de crescimento significativo para as empresas canadenses nos seguintes setores, bem adaptados às capacidades e interesses canadenses: Infraestrutura, Educação, Tecnologias Limpas, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Petróleo e Gás e Aeroespacial. Além destes setores prioritários, existem também oportunidades para o Canadá em Mineração, Defesa e Segurança, Ciências da Vida, Tecnologias Marítimas, Setores Automotivo, Energético, Agrícola e Agroalimentar, de Serviços e de Turismo.

Por Pascoal Gemaque

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.