Reunião discute a implantação da Zona de Processamento e Exportação de Marabá

A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec) fez nesta terça-feira (17) nova reunião para tratar sobre a implantação da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Marabá, no sudeste do Estado. Com a presença de representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e da Secretaria Executiva do Conselho das ZPEs, órgão ligado ao ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o encontro foi pautado pelos aspectos técnicos do projeto, que terá como empresa âncora a Aços do Pará, da multinacional argelina Cevital.

Segundo a secretária executiva do Conselho das Zonas de Processamento e Exportação (CZPE), Thaíse Dutra, a reunião teve por objetivo alinhar a proposta de criação da ZPE Marabá às especificações técnicas. “Neste momento de análises técnicas estamos conversando com Sedeme e Codec e buscando entender a realidade do Estado e da cidade de Marabá, observando também a importância do diálogo com a sociedade por meio de entidades representativas da região”, afirmou.

“O projeto está em fase conclusiva. Estamos reunindo com a Secretaria Executiva do CZPE para fazer os ajustes técnicos necessários para finalização. A proposta de criação do distrito industrial também está avançando, o que nos possibilita somar os dois projetos que levarão benefícios para a cidade”, frisou o presidente da Codec, Olavo das Neves. A proposta central da reunião, segundo ele, foi fornecer informações importantes por parte do Governo do Estado, com o objetivo de dar celeridade ao projeto junto ao governo federal.

Após a fase técnica, o projeto segue para análise do Conselho das ZPEs, formado pelos ministérios da Fazenda, Planejamento, Integração Nacional, Meio Ambiente e Casa Civil e presidido pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, para, então ser publicado o decreto presidencial que cria a ZPE Marabá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.